Capítulo XII

O meu quinto, sexto e sétimo artigo de Artista para Artista do Capítulo XII foram escritos para estimular a mente criativa através da capacidade imaginativa. Em essência, o artigo “Imaginação é a chave para o teu Éden” é dividido em duas partes, sendo ambas cautelosamente desenhadas para todo e qualquer artista: desde pintores a realizadores, a advogados, músicos, matemáticos, chefes de cozinha a actores; para todos aqueles que se encontram genuinamente interessados em fazer uso da sua imaginação através da própria fonte de criatividade (o seu jardim de éden) e aplicar essa forma de viver no seu quotidiano.

O artigo “Imaginação é a chave para o teu Éden” bem como todo e qualquer outro artigo que escrevo neste blog, são dedicados à minha amiga Catarina Molinari Osório, que é quem me tem ajudado a dar forma aos artigos que escrevo em nome da criatividade. Sem ela, o capítulo XII não existiria assim como o conhecemos pela presente.


Imaginação é a chave para o teu Eden - Part III

A minha crença é de que um “Ferrari sem travões é perigoso mas um Ferrari com travões ganha a corrida”. Esta é a minha alusão á metáfora foi dita pelo Dr. Edward Hallowell ao comparar “um Ferrari com travões de bicicleta” com a alguém com “falta de concentração”...

Foi assim que começou a minha aventura, com travões de bicicleta. Uma artista bloqueada, mas com vontade de regar e fazer crescer o meu Éden de volta, através de um caminho espiritual que me ajudasse a reencontrar vias de expressar e dar forma concreta para ter a audácia e a coragem de experimentar a minha criatividade.

Julia Cameron, diz que “aqueles que falam em termos espirituais regularmente se referem a Deus com o criador ao contrario dos não crentes que dão o nome de artista ao criador” por isso no seu livro, o Caminho do Artista, a autora sugere a seus leitores que que usem este termo de Deus o Criador ou o Artista de forma literal e que a partir dela possam criar uma ligação maior de artista para a sua arte bem como para com o grande criador pois este pode abrir e expandir infinitas possibilidades criativas.

A criatividade pode não vista de forma espiritual no entanto é uma forma e fonte valida de imaginação. Podes até meditar em busca da tua identidade, conexão com o teu corpo e mente ou quem sabe com a mãe natureza em si. A meditação pode servir para eliminar o stress, potenciar o reencontro com uma tal força maior mas eventualmente procura sempre por uma luz ao fundo do túnel e uma fonte de sabedoria que segundo May Sarton “ sempre volta a mesma necessidade” de ir mais além, com “mais profundidade”, pois existe lá no fundo do túnel toda “a verdade” por mais “difícil” que esta seja de lidar.

“Nós devemos aceitar que este pulso criativo dentro de nós é o próprio pulso criativo de Deus” disse Joseph Chilton Pearce

O movimento é sempre do lógico para o artístico, do rápido para o devagar, da superfície para a profundidade. E isso que significa mudança. Imaginação está de facto dentro de ti por isso da te a possibilidade de mudar e de experienciar esta conexão a cada bater do coração. Necessário é estar de coração aberto e pronto para abraçar o que não nos é propriamente perceptível. Giacomo Puccini, compositor de Madame Butterfly, diz que “A música desta ópera” lhe foi “ditada por Deus”. E ele foi “meramente instrumental em colocá-la no papel e comunicá-la ao público”. Johannes Brahms, também partilha de uma experiencia semelhante; enquanto Amos Ferguson jura a pés juntos que não pinta através da visão ou percepção mas sim através da sua fé; mas já Mary Daly diz que “o potencial criativo em si mesmo nos seres humanos que é a imagem de Deus.”

Resumindo e concluindo, tal como Ralph Waldo Emerson dizia “O que está por trás de nós e o que está à nossa frente é insignificante em comparação com o que está dentro de nós”. Por isso independentemente se a criatividade é a mesma coisa que espiritualidade ou não é insignificante, sendo o mais importante a reter é que ambas a criatividade e a espiritualidade tem com base o mesmo magnetismo ou força maior que na verdade se encontra dentro de cada um de nós, que começa a partir da esperança ou quem sabe de uma tal imaginação surge de dentro.

Da mesma forma, que a imaginação pode ser considerada objecto de criação, ela também pode vir de dentro de cada um de nós. Por isso quando, vemos algo através da nossa imaginação, esse simples ato, pode ser considerado de criação. O melhor exemplo disso é Cristiano Ronaldo. O melhor jogador do mundo é a prova viva de que é possível transformar os sonhos – em - realidade através da imaginação. Aliás é fascinante como CR7 já nos diz tanto só através do seu nome mas certamente que o melhor jogador do mundo te dirá o quanto importante é o ato de fé para com o seu CRIST (o) interior, que surge dentro de s (I) próprio e de que maneira a sua fé ou simplesmente esperança e perseverança à mistura com o seu contínuo trabalho através da imaginação e consequente projeção acabaram por ser a chave para seu Éden, ser humANO e profissional que é hoje. As mulheres chamam-no por CRIS ou talvez gritem TI amo, te amo! ou Amo-te! Outros preferem o chamar por CRISTI, meu mano ou bro, mas todos concordam que Ronaldo e Madeira tem 7 letras. RONALDO 7 deixa hoje o mundo do futebol a seus pés, mas na verdade, apenas aqui foi possível chegar com prática diária da sua imaginação e projeções. Por nunca deixar de acreditar que se manteve ao longo de todos estes anos em que falhou. Os 3 golos marcados contra a Espanha são o exemplo disso, pois foram precisos, 33 anos de cristo em si para bater o record de todos os tempos.